Rudolf Steiner, pai da Antroposofia, disse que: “as borboletas são flores que se desprenderam da terra e as flores são borboletas que a terra apreendeu…” Seja como for, se as flores marcam a primavera, as borboletas são seu símbolo maior.

Borboleta é um inseto voador, que possui dois pares de asas, além de várias formas e cores diferentes. A borboleta também possui diversos significados e simbologias, como a transformação, um novo começo, e é vista pela psicanálise como um símbolo de uma vida nova, de nascer novamente.

A vida da borboleta é dividida em ciclos, começando por um ovo; depois vira uma larva, que é a fase de lagarta; pupa, que é a fase do casulo; e a fase adulta. Quando a larva está pronta para virar em um casulo, ela se pendura em uma folha por um par de pernas falsas, de cabeça para baixo, até que a pele das costas abre e a larva se torna um adulto.

No Japão, é considerado um símbolo da mulher, por ser rápida e graciosa. Além da felicidade no casamento ser representada por duas borboletas. Outra simbologia das borboletas é que elas viajam muito, e por isso podem anunciar a morte de uma pessoa próxima, quando aparecem na casa de alguém.

Entre os Astecas, a borboleta é um símbolo da alma, ou do sopro vital. Uma borboleta brincando entre flores para eles representa a alma de um guerreiro caído nos campos de batalha. As interpretações decorrem provavelmente da associação analógica da borboleta e da chama, do fato de suas cores e do bater de suas asas.

Na mitologia grega, Psique (que significa “alma”) foi representada na forma de uma borboleta. Outras culturas também associam as Borboletas com a alma, na Nova Zelândia, os maoris acreditam que a alma retorna a Terra após a morte como uma borboleta.

Dicionário dos símbolos:

“Um aspecto do simbolismo da borboleta se fundamenta nas suas metamorfoses: a crisálida é o ovo que contém a potencialidade do ser; a borboleta que sai dele é um símbolo de transformação, ressurreição. É ainda, se preferir a saída do túmulo.”

Uma das principais mensagens simbólica da borboleta é: criar, transformar, mudar e ter coragem de aceitar.

São quatro fases da mesma vida: ovo, lagarta, crisálida e borboleta. Enquanto ovo é princípio vivo, puro. Representa a potencialidade do ser, guardada dentro de um invólucro de heranças parentais. É fundamental para desenvolver a solidez das bases estruturais do indivíduo. Mas num determinado momento, torna-se necessário romper com essa capa de proteção, para caminhar sobre as próprias pernas.

A lagarta tem o aprendizado da terra, do rastejar, das coisas que se processam lentamente. Simboliza os cuidados com o mundo físico, com os aspectos materiais que compõem a existência cotidiana. Pode ser o lado pesado da vida.

A crisálida é o encapsular para gestar. É como se retornasse ao estágio do ovo, mas só que por escolha pessoal. É criar um casulo para si mesmo, como forma de conectar-se com seus sentimentos, sua interioridade e seus próprios desejos.

E, finalmente, as asas libertam a borboleta! Mas, para se chegar à borboleta, é preciso superar o conforto e a comodidade do “já conhecido”… É preciso deixar morrer o velho e partir ao encontro das possibilidades em aberto, sem certezas, sem garantias.

A borboleta é a lição viva de que tudo é passageiro.

Assim também somos nós. Uns vivem para sempre no ovo, outros jamais passam de lagarta. E tem gente que vive gestando um sonho, um ideal, mas sem nada realizar… Ainda existem aqueles que, com esforço, se libertam, ganham asas e voam leves! Pousam aqui e ali, nos coloridos das flores e só de existir fazem a vida mais bela!

Identifique em que fase você está e observe como fazer para processar a sua metamorfose. Viver é cumprir fase por fase. Desapegar-se do antigo e entregar-se ao novo até ser capaz de voar. Desperte e tente uma nova forma! Deixe acontecer em você esse misterioso processo de se abrir para florescer. Deixe aparecer suas asas, suas melhores cores, seu vôo!”

A palavra borboleta é recordista em variações, isto é, possui uma grafia praticamente diferente em cada idioma. Borboleta em algumas línguas:

Alemão: SCHMETTERLLING
árabe: FARAASH
basco: TXIMELETA
cebuano da Filipinas – KABA-KABA
croata – LEPTIR
esloveno – METULJ
espanhol – MARIPOSA
estoniano – LIBLIKAS
finlandês – PERHONEN
francês – PAPPILLON
grego – PETALOUDA
havaiano – PULELEHUA
hebraico – PAPAR
híndi da Índia – TITLI
holandês – VLINDER
húngaro – PILLANGÓ
inglês – BUTTERFLY
islandês – FIDRILDI
italiano – FARFALLA
japonês – CHOCHO
lídiche – BABELE
mandarim da China – HU-DIÉ
marathi da Índia – FULPAKHARU
polonês – MOTYL
romeno – FLUTURE
russo – BÁBOTSCHKA
sueco – FJÄRIL
tagalog da Filipinas – DANH TÙ
tupi-guarani – PANAPANÁ
turco – KELEBEK

Neste artigo foram utilizadas parte do texto de Ana Nogueira e pesquisas do Livro Dicionário dos Símbolos de Jean Chevalier.